XIII Panorama divulga vencedores

XIII Panorama divulga vencedores

Ontem, no Espaço Itaú de Cinema – conhecido na Bahia como Cinema Glauber Rocha – aconteceu a cerimônia de encerramento do XIII Panorama Internacional Coisa de Cinema, evento realizado de 08 a 15 de novembro em Salvador e Cachoeira e que reuniu cerca de 132 produções nacionais e internacionais, de diversas metragens. A jornada de libertação de uma mulher de 65 anos que é demitida após dedicar toda a vida ao trabalho é o centro do longa-metragem Pela Janela, de Caroline Leone, vencedor da Competitiva Nacional. Caroline apresentou o filme em Salvador na última quinta-feira, mas logo voltou a São Paulo, de onde enviou um vídeo de agradecimento.

O baiano Café com Canela, de Glenda Nicácio e Ary Rosa, e o mineiro Baronesa, de Juliana Antunes, foram contemplados com Prêmio Especial pelo júri formado por Anne Fryszman, Jorge Forero e Antonio Olavo. Gravado nas cidades de Cachoeira e São Félix, o filme, que mostra a transformação de duas mulheres através da amizade, também foi considerado o Melhor Longa Nacional para a Associação de Produtores e Cineastas da Bahia (APC Bahia).

Na categoria Curta Nacional, a produção baiana Galeria F, quando a chuva passa, de Henrique Dantas, levou o prêmio principal, pela capacidade de “transmitir a fraternidade no meio da dificuldade, para alcançar a humanidade transcendente no meio da barbárie”.

Quilombo Rio dos Macacos, de Josias Pires, e Elogio à Utopia, de Caio Araújo, empataram como melhor longa da Competitiva Baiana. Na avaliação do júri os filmes apresentam “de forma complementar e a partir de estéticas próprias, leituras profundas e estimulantes do Brasil contemporâneo”. O prêmio de Melhor Curta ficou com O arco do medo, de Juan Rodrigues, com seu “diálogo entre o cinema figurativo e o cinema experimental”.

Durante a noite de premiação também foram anunciados os vencedores da Competitiva Internacional e do Prêmio Indie Lisboa, além de menções honrosas e prêmios especiais definidos pelos respectivos júris. Os vencedores de melhor longa e melhor curta das competitivas Nacional e Baiana ganharam prêmios em serviços e locação de equipamentos, além do troféu Igluscupe. Confira lista completa e imagens abaixo.

 

COMPETITIVA NACIONAL
/// JÚRI OFICIAL
LONGAS
Melhor longa nacional:
Pela janela, de Caroline Leone (Brasil/Argentina)

 

Prêmio especial do júri:
Baronesa, de Juliana Antunes (MG)
Café com canela, de Glenda Nicácio e Ary Rosa (BA)

 

Menção especial pela linguagem inovadora:
Música para quando as luzes se apagam, de Ismael Caneppele (RS)

 

CURTAS
Melhor curta nacional:
Galeria F, quando a chuva passa, de Henrique Dantas (BA)

 

Prêmio especial do júri:
Vando vulgo Vedita, de Andréia Pires e Leonardo Mouramateus (CE)

 

Melhor direção:
Nada, de Gabriel Martins (MG)

 

/// JÚRI JOVEM
Melhor longa nacional:
Café com canela, de Glenda Nicácio e Ary Rosa (BA)

 

Melhor curta nacional:
Travessia, de Safira Moreira (RJ)

 

Menção honrosa ao ator Khulani Maseko, do filme The Beast

 

COMPETITIVA BAIANA
/// JÚRI OFICIAL
LONGAS
Melhor longa baiano (dois escolhidos):
Quilombo Rio dos Macacos, de Josias Pires
Elogio à Utopia, de Caio Araújo

 

CURTAS
Melhor curta baiano:
O arco do medo, de Juan Rodrigues

 

Prêmio especial do júri:
Latossolo, de Michel Santos

 

Menção honrosa à atriz Paula Lice, do filme Estela

 

/// JÚRI JOVEM
Melhor longa baiano:
Quilombo Rio dos Macacos, de Josias Pires

 

Melhor curta baiano:
Não Falo Com Estranhos, de Klaus Hastenreiter

 

COMPETITIVA INTERNACIONAL
/// JÚRI OFICIAL
LONGA
Melhor longa internacional:
A Mão Invisível – David Macián (Espanha)

 

CURTAS
Melhor curta internacional: Terça-feira de Nder, de Chantal Durpoix (Senegal)

 

Menção honrosa: Vovô Morsa, de Lucrèce Andreae (França)

PRÊMIO APC BAHIA
Melhor longa nacional:
Café com canela, de Glenda Nicácio e Ary Rosa (BA)

 

INDIELISBOA LONGA
Melhor longa nacional:
Baronesa, de Juliana Antunes

 

CURTAS
Melhor longa nacional (dois escolhidos):
Vando vulgo Vedita, de Andréia Pires e Leonardo Mouramateus
Meninas Formicida, de João Paulo Miranda Maria

 

Edgar Santos
Escrito por Edgar Santos

Editor do site Cinemáticos, diretor de arte, leitor de HQs e fã de Blaxploitation.

Ainda não há comentários.

Ninguém ainda deixou um comentário para esta publicação!

Deixe uma resposta