Projeto 469 Anos de Salvador – o making of

Projeto 469 Anos de Salvador – o making of

Para enaltecer a cidade de origem do Cinemáticos e que completou no mês passado mais um ano de uma vida pulsante e multicolorida, resolvemos sair por aí, juntar uma galera e fazer algo diferente. E deu nisso.

Projeto Salvador 469 anos foi a união do Cinemáticos com o Se Essa Rua Fosse Minha, canal no Instagram criado por Ive Deonísio e Luriana Morais que visam a retomada da cidade pelo público, além de apresentar diversos segredos escondidos por suas ruas.

A proposta foi: enquanto o Cinemáticos trata do filme inserido na cidade, o Se Essa Rua fala dos aspectos mais íntimos, de modo que o povo se abasteça de um conteúdo muito mais abrangente. Foi uma semana de muito trabalho, mas completamos a missão de encontrar produções que representassem Salvador em toda sua pluralidade. Vumbora:

 

1 | A INSPIRAÇÃO

A ideia partiu do site alemão Filmtourismous, onde Andrea David, uma blogueira de viagens especialista em turismo de cinema e, obviamente, viciada em série e filmes, circula o globo por 10 anos atrás de locações – e as posta no Instagram. Para quem quer fazer uma viagem cinematográfica e conhecer os lugares dos seus filmes preferidos, recomendo fortemente visitar seu site.

Andrea David, do filmtourismous.de

 

2 | OS FILMES

Para as rotas, era fundamental encontrar os filmes que dariam os caminhos do projeto. As escolhas tinham como pontos: a importância histórica (já que a Bahia é um celeiro de cineastas como Glauber Rocha, Edgard Navarro, Monique Gardenberg, Pola Ribeiro, entre muitos outros); a nostalgia (a ideia de rever a cidade em outros tempos e de outras formas no espaço fílmico); e a referência (quão frescos estão alguns filmes na mente do público).

Munidos desses 3 pontos montamos a lista, onde alguns não puderam constar devido à precariedade do material (Cinderela Baiana), pela dificuldade de encontrar as locações (Cidade Baixa, por exemplo), ou ainda por não conseguimos a produção em tempo hábil (Depois da Chuva, de 2013). Os selecionados foram:
– Ó Paí, Ó (2007, Monique Gardenberg)
Meteorango Kid, O Herói Intergalático (1969, André Luiz Oliveira)
– Dona Flor e Seus Dois Maridos (1976, Bruno Barreto)
– O Pagador de Promessas (1962, Anselmo Duarte)
– SuperOutro (1989, Edgard Navarro)
– Irmã Dulce (2014, Vicente Amorim)
– Capitães da Areia (2011, Cecília Amado)

 

3 | AS LOCAÇÕES

Após a escolha, era (re)assistir, capturar frames (as imagens das cenas) e encontrar os locais. Confira na galeria abaixo alguns estudos – inclusive de imagens que não utilizamos:

 

 

4 | O PROJETO

Com todas as imagens escolhidas, tivemos dois dias para realizar todas as fotos, com destaque para a obra de despedida: SuperOutro, um dos ícones do cinema baiano, onde tivemos o grande prazer de entrar em contato com o próprio diretor, Edgard Navarro, uma pessoa extremamente gentil e empolgada que apoiou o projeto e nos permitiu o uso da sua obra.

E o resultado tá aqui embaixo. Espero que curtam:

 

⏪ O primeiro ponto dessa homenagem – inspirado no @filmtourismus – aos 469 anos de Salvador são as famosas escadarias do filme “O Pagador de Promessas” ✝🚫⛪ , baseado na obra de Dias Gomes e lançado em 1962. E tudo bem se você lembrar da versão para TV de 1988; também foi na mesma igreja 😉. – Até hoje a promessa de Zé do Burro para seu amigo Nicolau é o único filme brasileiro e sul-americano a conquistar a Palma de Ouro do Festival de Cannes, além de ter sido indicado ao Oscar no período. No filme estrelado por Glória Meneses, Leonardo Villar e Norma Bengel é possível encontrar críticas à intolerância religiosa e ao sensacionalismo midiático, pontos que até hoje são relevantes. Existem mais dados sobre esse famoso local que você encontra no @seessarua_fosseminha , nossa parceira no projeto. – #salvador #salvador469anos #469 #cinema #filme #cannes #Oscar #OPagadordePromessas #DiasGomes #1964

A post shared by Cinemáticos (@_cinematicos) on

⏪ Hoje nosso percurso em homenagem aos 469 anos de Salvador chega no Largo da Palma da década de 40, onde Dna. Flor 🌺 distribuía conhecimento com sua escola de Arte Culinária chamada Sabor e Arte. Ah, e onde o malandro do Vadinho se amansiou, vindo a falecer a poucos passos de casa, mais precisamente no domingo de carnaval de 1943. – 👱🏻👩🏻👳🏻Dirigido por Bruno Barreto em 1976, “Dona Flor e Seus Dois Maridos” é um dos clásicos da literatura📚 de Jorge Amado. Já rolaram algumas versões – inclusive ano passado – mas a de 1976 com Sônia Braga, José Wilker e Mauro Mendonça no elenco é um marco por ser recordista de público no cinema brasileiro por 34 anos, levando mais 10 milhões de espectadores aos cinemas. – Quer saber mais sobre o Largo da Palma? Vai lá no @seessarua_fosseminha e coloque mais um tempero no seu conhecimento. – #salvadormeuamor #salvador #seessaruafosseminha #cinematicos #seessaruaporai #exploreseubairro #turistanaminhacidade #turismonapropriacidade #turismossa #centroantigo #ocentropulsa #filme #aquiésalvador #issoésalvador #salvador469 #salvador469anos #donafloreseusdoismaridos #cinemanacional #cinema #filme

A post shared by Cinemáticos (@_cinematicos) on

​ ⏪”Me pinta aqui pra Timbalada?” – Não tem como pontuar o niver de Salvador sem a presença de “Ó paí, Ó”, filme de 2007 dirigido por Monique Gardemberg e inspirado na peça homônima de Márcio Meirelles. E já começa assim: em clima de carnaval. Para quem é baiano, dá um calorzinho no peito compreender todas aquelas figuras que permeiam o Centro Histórico de Salvador, em sua maioria interpretadas pelo @bandodeteatroolodum, uma magistral escola de talentos. E o filme consegue ser tão plural como a festa de Momo: quer música? Tem. Comédia? Tem. Drama? Também. Não à toa a produção trepassou o cinema e foi parar na TV, com duas temporadas. Ah, e tem continuação no cinema prevista para 2019. – Entre as locações, temos o Bar do Neuzão, onde @tania.toko e @emanuellearaujo recebem a visita inesperada de Roque (@olazaroramos), Reginaldo (@ericobras) e cia. – Quer saber mais, é? chegue no @seessarua_fosseminha e confira mais informações. Mas e aí, a pergunta que não quer calar: VOCÊ É BAHIA OU É VITÓRIA, AFRO? – #salvadormeuamor #salvador #seessaruafosseminha #cinematicos #seessaruaporai #filme #cinemanacional #cinema #turistanaminhacidade #turismonapropriacidade #turismossa #centroantigo #ocentropulsa #filme #aquiesalvador #issoésalvador #salvador469 #salvador469anos #ópaíó #cinema

A post shared by Cinemáticos (@_cinematicos) on

⏪Com o nome inicial de “O Mais Cruel dos Dias”, este clássico do Cinema Marginal baiano já apresenta de forma muito clara a essência da contracultura presente em um 🇧🇷 tragado pela Ditadura. Não à toa, tanto o filme quanto o diretor e roteirista André Luiz Oliveira foram perseguidos pelo regime. Em certa entrevista, André diz “‘Meteorango’ foi um convite à rebelião total. Saindo do cinema, eles já queriam me levar preso”. – 🚀Meteorango Kid O Herói Intergalático” se passa num único dia, o 🎂aniversário de Lula (Antônio Luís Martins), um universitário de classe média em desacordo com a família e com qualquer outra instituição ou grupo social. Os eventos têm início pela manhã, quando ele sai de casa, e continuam numa jornada que parte de uma conversa com amigos a passagens oníricas, incluindo fantasias com super-heróis famosos e outras histórias inusitadas. E nessa jornada é possível perceber o embate que o diretor promove entre imagem e som, nem sempre em harmonia. – Essa é a aventura louca, agressiva e irreverente de Meteorango Kid – que pode ser visto no 💻You Tube. E quer saber mais sobre a Carlos Gomes, uma das principais Ruas de Salvador e que virou cenário para o filme? Corre para o @seessarua_fosseminha e complemente seu conhecimento. #salvadormeuamor #salvador #seessaruafosseminha #cinematicos #seessaruaporai #filme #cinemanacional #cinema #turistanaminhacidade #turismonapropriacidade #turismossa #centroantigo #ocentropulsa #filme #aquiesalvador #issoésalvador #salvador469 #salvador469anos #meteorangokid #filminglocation #movielocation

A post shared by Cinemáticos (@_cinematicos) on

Claro que na nossa homenagem aos 469 anos de Salvador não poderíamos esquecer do “Anjo Bom da Bahia”, que teve sua cinebiografia realizada em 2014 por Vicente Amorim, o mesmo diretor de “O Caminho das Nuvens”. O filme é uma verdadeira viagem por vários lugares sacros da cidade, praticamente um turismo não só pelas igrejas e Centro Histórico de Salvador, mas também um passeio pelo tempo, através da vida de dedicação da freira aos mais desfavorecidos, que culminou em um dos maiores hospitais do 🇧🇷 . – A querida freira que chegou a ser indicada ao prêmio Nobel da Paz é interpretada por três atrizes; na infância por Sophia Brachmans; na mocidade por Bianca Comparato (@biancacomparato) e a fase idosa por Regina Braga (espantosamente parecida com a religiosa em um belo trabalho de maquiagem). – Quer saber mais sobre a caridosa senhora que peitou autoridades e fez sua obra – ou melhor, a obra de Deus, como ela dizia – tornar-se imortal? Passa lá no site (temos a crítica do filme) e no @seessarua_fosseminha para conhecer mais sobre essa história de fé. #salvadormeuamor #salvador #seessaruafosseminha #cinematicos #seessaruaporai #filme #cinemanacional #cinema #turistanaminhacidade #turismonapropriacidade #turismossa #centroantigo #ocentropulsa #filme #aquiesalvador #issoésalvador #salvador469 #salvador469anos #fé #irmadulce #OSID

A post shared by Cinemáticos (@_cinematicos) on

⏪Tava faltando um marzinho nessa comemoração aos 469 anos de Salvador, né?🌊Até hoje levantam dúvidas da existência de uma gangue de meninos que causaram o terror na sociedade soteropolitana na década de 30, mas o fato é que Jorge Amado tomou para si a vivência dessas crianças desassistidas e fez um retrato poético e lindo no seu romance📚 “Capitães da Areia”, que já teve uma versão para a TV em 1989 e sua neta, Cecília Amado, carregou para as telonas como marco inicial das comemorações do centenário do avô. Ah, é bom lembrar que “Capitães” teve uma versão bem obscura em 1969, dirigida por Hal Bartlett (alguém já viu?). – Liderados por Pedro Bala, os Capitães eram a justiça que as pessoas mais pobres podiam recorrer: Gato, Sem Pernas, João Grandão, Professor, Dora… é difícil não se ligar a um desses personagens, ainda mais tendo como pano de fundo as belezas de Salvador, amplificadas pela bela fotografia do filme – que você pode saber mais sobre lá no @seessarua_fosseminha . – E por falar em beleza, Olha o Boa Vida aí, com seu jeito irreverente de “chegar junto”, com todo o respeito, claro. – #salvadormeuamor #salvador #seessaruafosseminha #cinematicos #seessaruaporai #filme #cinemanacional #cinema #turistanaminhacidade #turismonapropriacidade #turismossa #centroantigo #ocentropulsa #filme #aquiesalvador #issoésalvador #salvador469 #salvador469anos #capitaesdaareia #jorgeamado #literatura

A post shared by Cinemáticos (@_cinematicos) on

⏪Nossa viagem em companhia do pessoal do @seessarua_fosseminha termina em frente ao icônico Glauber Rocha, cinema de rua soteropolitano que foi revitalizado. E nada mais justo que utilizar SuperOutro, um clássico baiano dirigido por Edgard Navarro para tecer essa ligação entre o ontem e o hoje. – Presente na lista de 🎞100 melhores filmes brasileiros de todos os tempos da Associação Brasileira de Críticos de Cinema, a aventura quixotesca do anti-herói esquizofrênico de SuperOutro marca um retorno de um cinema baiano que não produzia a seis anos; e nessa jornada a cena do Glauber inicia o derradeiro ato que marca a meta de vida do nosso mendigo, que acaba numa linda metáfora. – Foi muito legal esse passeio pela cidade através de alguns filmes e SuperOutro como fechamento chega a ser quase obrigatório. Abaixo a gravidade! – #salvadormeuamor #salvador #seessaruafosseminha #cinematicos #seessaruaporai #filme #cinemanacional #cinema #turistanaminhacidade #turismonapropriacidade #turismossa #centroantigo #ocentropulsa #filme #aquiesalvador #issoésalvador #salvador469 #salvador469anos #superoutro #edgardnavarro #abaixoagravidade #glauberrocha #cinemabaiano

A post shared by Cinemáticos (@_cinematicos) on

 

5 | E AGORA?

Além de centenas de curtidas nos dois perfis do Instagram participantes, o projeto foi destaque no Facebook do hub de canais fechados Prime Box Brasil:

Além disso, foi elogiado pela própria Andrea David, que nos mandou esse recado:

“Obrigado por entrar em contato e pelo amável retorno. Estou muito feliz de saber que meu trabalho inspira outras pessoas”.

Temos planos futuros de ampliar esse projeto, fazendo com que o público não só seja atraído a caminhar pelas ruas, avenidas e vielas, mas também pelo que conheça mais sobre o cinema nacional. E quem sabe a iniciativa não vai parar também na sua cidade? Aguarde e confie.

Edgar Santos
Escrito por Edgar Santos

Editor do site Cinemáticos, diretor de arte, leitor de HQs e fã de Blaxploitation.

2 Respostas de comentários

  1. Avatar
    Abril 18, 2018

    Incrivel, gente! Foi maravilhoso compartilhar esse projeto com vocês! Vida longa à essa parceira!

    Resposta

Deixe uma resposta